sexta-feira, 24 de abril de 2009

Faz 35 anos



E depois do adeus

Música: José Calvário
Letra: José Niza

Quis saber quem sou
O que faço aqui
Quem me abandonou
De quem me esqueci
Perguntei por mim
Quis saber de nós
Mas o mar
Não me traz
Tua voz.

Em silêncio, amor
Em tristeza e fim
Eu te sinto, em flor
Eu te sofro, em mim
Eu te lembro, assim
Partir é morrer
Como amar
É ganhar
E perder

Tu vieste em flor
Eu te desfolhei
Tu te deste em amor
Eu nada te dei
Em teu corpo, amor
Eu adormeci
Morri nele
E ao morrer
Renasci

E depois do amor
E depois de nós
O dizer adeus
O ficarmos sós
Teu lugar a mais
Tua ausência em mim
Tua paz
Que perdi
Minha dor que aprendi
De novo vieste em flor
Te desfolhei...

E depois do amor
E depois de nós
O adeus
O ficarmos sós

2 comentários:

geocrusoe disse...

faz 35 anos que que a esperança explodiu após e depois do adeus... infelizmente, julgo que ano após ano se perderam oportunidades e esta esperança está cada vez mais moribunda.

Pedro Veiga disse...

Eram de facto outros tempos em que se podia falar de esperança na mudança. Agora o cenário político e social é muito deprimente, o que não favorece a esperança.